Publicado por: Mariana Lenartovicz | 7 de fevereiro de 2010

Diários de uma Cicloviagem – Morretes/Superagui

Primeira viagem de bicicleta! A Equipe “Civis Mundi Expedições” sai de Morretes (PR) para conhecer a estrada da região da Serra Negra (PR/SP) – primeira região do Brasil onde foram encontradas lavras de Ouro, entre 1638 e 1654 – com destino a encantadora Ilha de Superagui.

Como nossa primeira experiência, foi uma aprendizagem e tanto! Viajar de bicicleta te dá um sensação de liberdade muito grande. Não aquela liberdade mesquinha que sentimos de vez em quando e nos torna “independentes”. Talvez liberdade não seja a palavra, mas sim uma sensação de viver. Viver realmente, porque a maioria das pessoas, como diria Oscar Wilde, apenas existe.  Posso estar com uma visão romantizada, mas foi incrível saber que estava viajando e levando comigo tudo o que precisaria, por poucos dias claro, mas já é um começo.

Muitas subidas, muito sol, muitas pedras pelo caminho, e também, muito companheirismo, banhos de rio, risadas e paisagens incríveis!

Este foi nosso trajeto

Mapa da Cicloviagem

Nosso destino era um lugar sem carros, onde as crianças brincam com barquinhos, as mulheres trabalham à noite limpando o camarão, onde o problema do lixo ainda não se resolveu. Lugar que possui o bar AKDOV, que é emaranhado pelo Fandango e onde os moradores se reúnem para ajudar um amigo a tirar seu barco da água, que à noite tem um brilho especial. Uma praia que tem uma água calma, parecendo um tapete luminoso com o nascer do sol, mas também mostra sua força na praia deserta, onde o infinito parece visível.

Fazer uma viagem assim é mais que pedalar e pedalar, é buscar conhecer aquilo que está ao nosso redor, nossa cultura, tão perto mas que nos afastamos por falta de tempo, vontade e até mesmo coragem.

Por Mariana Lenartovicz

Por Mariana Lenartovicz

Anúncios

Responses

  1. Má, com certeza esta foi uma experiência ímpar. Suas fotos estão ótimas.

  2. […] serem exaltados, como se fossem a expressão máxima de nossa cultura. Naquele momento recordei do Fandango caiçara e da Congada da […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: