Publicado por: TDM | 20 de dezembro de 2009

A última morada de Herodes

TDM, 2009.

Chegamos ao topo da colina. Fiquei imaginando como teria sido a caravana que trouxe o Rei Herodes para sua última morada. O cortejo saiu de Jericó, carregando o corpo do rei morto. Seguiram para o sul, e provavelmente passaram pelo lugar que eu observava.

Herodium como é conhecido, foi a última morada do Rei Herodes, considerado o maior vilão da Bíblia por muitos, e o maior arquiteto que a Palestina teve no seu tempo, por outros; reinou entre os anos 36 a.C. até 4 a.C.

Localizado a apenas 15 km ao sul de Jerusalém, o complexo de ruínas de Herodium integra o sistema de parques nacionais de Israel (mesmo sendo localizado na Cisjordânia), e estima-se que tenha sido erigido entre 23 a.C a 20 a.C. É divido entre a parte superior, que continha o palácio do rei, junto a uma fortaleza circular; e a parte inferior, no sopé da colina, que abrigava palácios anexos usados pala família e amigos do rei, para escritórios de governo.

Após a morte de Herodes, seu filho Archelaus, governou a Palestina entre 4 a.C. e 6 d.C., mas foi destronado, e o governo ficou por conta dos Romanos. Com a Primeira Revolta dos Judeus, no ano 66 d.C., os Zelotes ocuparam a área, onde construíram Sinagogas. Depois de 4 anos foram derrotados pelos Romanos, sendo que sua última resistência foi a fortaleza de Massada.

Em 132 a.C., Herodium foi novamente ocupado, durante a Segunda Revolta dos Judeus contra os Romanos, liderada por Bar Kochba, que perdurou por 3 anos. Posteriormente, o complexo foi abandonado por vários séculos, e a que tudo indica, só foi novamente ocupado por monges Bizantinos entre os séculos 5 e 7 A.D. Novamente abandonado durante a consquista árabe no século 7 A.D., permaneceu desabitado até décadas recentes, quando foi ocupado por grupos beduínos.

Os dois grupos de revoltosos usaram Herodium como fortaleza e construíram um sistema de tuneis utilizando o antigo sistema de cisternas elaborado por Herodes. Em 2007, a equipe chefiada pelo arqueólogo Ehud Netzer, da Universidade Hebraica de Jerusalém, escavou os resquícios de uma tumba associada ao Rei Herodes.

Mais em: National Geographic

TDM, 2009.

 Ruínas do castelo e fortaleza da parte superior.

TDM, 2009.

 Ruínas da parte inferior.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: